19 de abril de 2024
Brasil • atualizado em 24/03/2024 às 10:47

Suspeitos pela morte de Marielle Franco são presos pela PF no RJ

A prisão ocorreu neste domingo (24), por meio da Operação Murder Inc., deflagrada após delação premiada de Ronnie Lessa, acusado pelos disparos do crime
Vereadora do RJ, Marielle Franco, assassinada em 2018. Foto: Reprodução/Arquivo Pessoal
Vereadora do RJ, Marielle Franco, assassinada em 2018. Foto: Reprodução/Arquivo Pessoal

A Polícia Federal (PF) prendeu, neste domingo (24), o deputado federal Chiquinho Brazão, o conselheiro do Tribunal de Contas do Rio de Janeiro (TCE-RJ), Domingos Brazão, e o delegado Rivaldo Barbosa, ex-chefe da Polícia Civil da capital do RJ, suspeitos pela morte de Marielle Franco.

Os irmãos Brazão são apontados como mandantes do crime. Já o delegado Rivaldo Barbosa é suspeito de atrapalhar as investigações relacionadas ao atentado, ocorrido em março de 2018, que resultou também na morte do motorista Anderson Gomes.

Ao todo, foram expedidos três mandados de prisão preventiva e 12 mandados de busca e apreensão pelo ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), por meio da Operação Murder Inc., deflagrada pela Procuradoria-Geral da República (PGR), pelo Ministério Público do Rio de Janeiro (MPRJ) e pela PF. 

A polícia chegou aos nomes dos suspeitos após delação premiada realizada com o policial militar reformado Ronnie Lessa, preso desde março de 2019, acusado de ser o autor dos disparos que mataram Marielle e seu motorista.

Leia Também

“Neste dia de dor e esperança, nossa família segue lutando por justiça. Nada trará nossa Mari de volta, mas estamos a um passo mais perto das respostas que tanto almejamos”, salientou a nota, assinada por Marinete, Anielle, Antônio e Luyara Franco.


Leia mais sobre: / Brasil / Notícias / Política

Recomendado Para Você