17.8 C
Goiânia
segunda-feira, 19 julho 2021

Sobe para quatro o número de mortes após pane elétrica no Hcamp de Porangatu

- Anúncio -
- Anúncio -

Mais dois pacientes com Covid-19 que foram transferidos de unidade após um problema no sistema de oxigênio do Hospital de Campanha de Porangatu, no norte do estado, morreram. Outros dois idosos vieram a óbito no último domingo (11), após a queda de uma árvore que caiu sobre a rede elétrica da unidade e acabou danificando o equipamento de oxigênio da unidade.

Em nota, a Secretaria Estadual de Saúde de Goiás (SES-GO) e o Hospital Centro-Norte de Uruaçu (HCN), informaram que os pacientes do Hcamp de Porangatu estavam em estado muito grave. Ainda segundo o comunicado, dos 11 pacientes que foram encaminhados ao HCN, sete estão na UTI e um que estava na enfermaria recebeu alta hospitalar. Em menos de 24 horas, três pacientes vieram a óbito o que reflete a gravidade em que chegaram no hospital.

- Anúncio -

”Essa árvore comprometeu toda a parte elétrica. O hospital de campanha ficou sem energia e, com isso, foi acionado o gerador e ele aciona o compressor da rede de gases. Esse compressor teve um problema pela carga excessiva de energia”, disse o secretário de saúde de Porangatu, Rafael Miguel.

Os pacientes foram transferidos em ambulâncias do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) e do Corpo de Bombeiros. Elas foram escoltadas pela Polícia Rodoviária Federal, e todos foram abastecidos com cilindros de oxigênio.

Antes mesmo de ser transferido, o paciente Albinor Rodrigues Pereira, de 76 anos morreu no Hcamp de Porangatu. Ainda no último domingo (11), o paciente Altamiro Antônio de Souza, de 70 anos, também morreu pouco depois de dar entrada no Hospital de Uruaçu.

Sofrimento familiar

O PM Alessandro Uelisclei de Souza, relatou que o pai, Altamiro Antônio, estava internado no Hcamp de Porangatu desde o dia 2 de julho. Alessandro disse que diariamente esperava boletim médico com informações sobre o pai, mas ficou surpreso com a notícia de sua morte, no último domingo.

”Não teve boletim para informar o estado de saúde dele. Nós preocupamos e meu sobrinho foi lá no hospital para verificar. Foi quando ele viu aquele movimento todo e teve notícias de que houve falta de energia elétrica. Meu coração está em pedaços, a família está dilacerada”, contou Alessandro.

Lucas Soares da Costa, neto do paciente Albino Rodrigues, que morreu antes mesmo de ser transferido para Uruaçu, disse que ficou muito angustiado ao receber a notícia do problema na rede elétrica e no sistema de oxigênio da unidade.

”Quando foi umas 15h30, 16h, eles ligaram para a minha irmã e falaram que teria que intubar meu avô para fazer um procedimento. Quando chegamos lá, falaram que ele já estava intubado, está estável, ele vai ser o oitavo a ser transferido”, disse Lucas, neto do paciente.

Investigação

A Polícia Civil já está investigando o caso. Algumas testemunhas já foram ouvidas. Segundo o delegado Luciano Santos da Silva, apesar de haver problema no compressor, o oxigênio fornecido aos pacientes continuou. ”Há a possibilidade de que essas vítimas tenham chegado a falecer quando foi realizado a tentativa de transferência. No hospital, ao que tudo indica, havia oxigênio fornecido pelo sistema de emergência da unidade. Apesar de haver problema no compressor, o oxigênio fornecido aos pacientes continuou”, explicou.

As investigações segue para apurar se, durante o processo de transferência, ao fazer a intubação dos paciente e transporte, o quadro clínico deles se agravou.

- Anúncio -
- Anúncio -
- Anúncio -

Últimas Notícias

- Anúncio -
- Anúncio -

Relacionadas

- Anúncio -