O ministro da Economia, Paulo Guedes, na apresentação das regras para o saque do FGTS na tarde desta quarta-feira (24/07). Foto: Reprodução/ TV Brasil.
ANÚNCIO

O governo federal está detalhando na tarde desta quarta-feira (24/07) as regras para liberação dos saques de contas ativas e inativas do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) e do Programa de Integração Social (PIS).

Mais cedo, o ministro-chefe da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, disse que o saque do FGTS será limitado a R$ 500 e poderá ser feito de agosto de 2019 a março de 2020.

O ministro da Economia, Paulo Guedes, afirmou que a liberação de recursos do FGTS e do PIS totalizará R$ 42 bilhões até o fim do ano que vem. Segundo ele, a injeção de recursos na economia deverá somar R$ 30 bilhões neste ano e R$ 12 bilhões em 2020. Apesar de falar em “injeção” na economia a limitação de saque de R$ 500,00 gerou certa frustração na população. Porém, o governo fala que “o efeito não será pequeno”.

ANÚNCIO


O ministro da Economia, Paulo Guedes, disse que a medida “toca apenas na superficíe do problema” econômico. Outras medidas serão tomadas ao longo do tempo. Também destacou que esse anúncio é a prova de que se trata de um governo “liberal progressita”. “É diferente dos sociais-democratas e socialistas que quebraram o país e agora querem se vender como progressistas”.

Guedes destacou que o saque será opcional e que todos que quiserem poderão realizá-lo.

Comentários

comentarios

ANÚNCIO