28 de fevereiro de 2024
Destaques • atualizado em 16/02/2021 às 11:12

Renato Castro assume a Codego e diz que vai atrair emprego para a população e imposto pro estado

Tomou posse na Companhia de Desenvolvimento Econômico de Goiás (Codego) Renato Castro, ex-prefeito de Goianésia e ex-deputado estadual. A cerimônia ocorreu na manhã desta segunda-feira (15/2), no Palácio das Esmeraldas, em Goiânia, com a presença do governador Ronaldo Caiado (DEM), vice-governador Lincol Tejota e demais autoridades políticas de Goiás.

Renato substitui Hugo Goldfeld, este não pôde participar do evento porque se recupera de consequências da covid-19. Em seu discurso dando as boas-vindas ao novo presidente, Ronaldo Caiado disse que além de técnico e político, Renato é competente e que este foi o principal fator que levou Caiado a convidá-lo para assumir a Codego. Renato é economista, tem 45 anos de idade, é empresário no ramo agropecuário e foi um dos prefeitos do MDB que recalcitraram determinações do partido e decidiram apoiar Ronaldo Caiado ao governo de Goiás nas eleições de 2018.

Ao blog Altair Tavares, Renato elogiou as administrações anteriores da Codego e afirmou que é uma missão muito difícil estar à frente da companhia.

“Vários presidentes passaram por lá, deixando cada um sua marca e sua forma de trabalhar. Naturalmente é uma missão muito difícil, mas aquela experiência acumulada como prefeito, obviamente eu vou trazer para dentro da Codego, aquela filosofia que eu implantei em Goianésia, que o setor público não tem que ser problema, setor público tem que ser solução, então é fomentar o crescimento das empresas dos empresários para que eles possam cada dia mais gerar empregos e renda, emprego pra nossa população e imposto pro nosso estado de Goiás para que o governador Ronaldo Caiado possa entregar um equilíbrio fiscal trazendo Goiás às melhores posições do ranking nacional”, explicou.

Leia Também

“Dá pra atrai obviamente, obviamente as coisas cresceram, o Brasil tem crescido, mas nós precisamos de melhorar e aumentar essa velocidade”, concluiu.


Leia mais sobre: / / / Destaques / Política