22 de fevereiro de 2024
Manchete • atualizado em 25/02/2021 às 11:14

Prefeito Fernando Pellozo analisa a compra de vacinas contra a covid-19

O prefeito de Senador Canedo, Fernando Pellozo (PSD), sinalizou que tem interesse em adquirir vacinas contra a covid-19. Esta possibilidade se tornou possível após decisão do STF (Supremo Tribunal Federal) que permite, a partir de agora, que estados e municípios possam negociar diretamente com os laboratórios a compra do imunizante.

Ao Diário de Goiás, a assessoria de comunicação do prefeito disse que ele “gostou da ideia, tem interesse e que estará analisando como fazer para comprar essas vacinas”.

Depois da anuência do STF, vários prefeitos e governadores Brasil afora se mobilizam para conseguir comprar as vacinas. Em Goiás, o governador do estado anunciou que já está em contato com laboratórios para discutir meios de comprar. Ronaldo Caiado já enviou projeto à Alego (Assembleia Legislativa de Goiás) para aquisição de verba que possa ser usada na compra da vacina. Em primeira votação os deputados aprovaram esse projeto e nesta quinta-feira (25/2) terá a segunda votação. Serão R$ 60 mi que Caiado terá à disposição para esse fim.

O governo Caiado também informou que outros R$ 60 mi, proveniente de recursos da própria Secretaria de Saúde do estado, poderão usados para mais compras da vacina. Neste primeiro momento, o objetivo é conseguir 2 milhões de doses, com essa quantidade podendo imunizar um milhão de pessoas, já que as vacinas que poderiam ser compradas pelo Brasil necessitam de duas doses.

Leia Também

“Estamos em uma situação crítica e também estamos cercados por cidades que já estão em situação um pouco mais difícil, mas buscamos soluções. Nosso interesse é o de vacinar toda a população, é isso que nós queremos”, disse o prefeito.

Em Senador Canedo, segundo o boletim da Secretaria de Saúde, 3.276 pessoas já foram vacinadas. O número de óbitos no município chegou a 127. Em nota, a SMS pede que as pessoas respeitem os protocolos sanitários para que novos casos não surjam.


Leia mais sobre: / / / Manchete / Política