ANÚNCIO

O petista Olavo Noleto é, sem dúvida, o político goiano que ocupa o cargo mais importante no governo federal atualmente. Desde o início da era petista, com Lula, Olavo atua no Palácio do Planalto, mais especificamente na Casa Civil. Ele ocupou o cargo de subchefe adjunto de Assuntos Federativos da Secretaria de Relações Institucionais da Presidência da República e cuidava da interlocução do Planalto com os prefeitos e governadores. Na era Dilma Rousseff (PT) o goiano foi alçado a titular do cargo, se tornando subchefe de Assuntos Federativos a convite da própria presidenta. Deixou o cargo em 2014 para se candidatar a deputado federal. Teve mais de 35, 9 mil votos, mas não foi eleito. Na sequência foi convidado e aceitou ser chefe de gabiente do prefeito Paulo Garcia (PT) na prefeitura de Goiânia. Ficou alguns meses e, em abril de 2015, novamente a convite de Dilma, reassumiu o mesmo cargo na Secretaria de Relações Institucionais da Presidência. Agora, Olavo está sendo convocado para nova missão no governo federal. Ele vai assumir o cargo de secretário-executivo da Secretaria de Comunicação Social do Planalto, órgão responsável pela verba publicitária do governo federal. A convite do secretário Edinho Silva, Olavo Noleto substituirá José Otaviano, que ficou no cargo apenas quatro meses. A mudança é estratégica na área de propaganda e marketing do governo federal. Depois de muitos anos, o cargo será ocupado por um petista de “raiz” que terá a função de supervisionar verbas de mais de R$ 2 bilhões por ano em publicidade estatal federal. Discreto, diplomático e pragmático, Olavo vai deixando sua marca em alto cargos públicos da República e se sobressai nas funções que ocupa. Se já era poderoso, agora nem se fala. Só para registar. Olavo Noleto é filho de dois jornalistas: Wilmar Alves (in memorian) e Laurenice (Nonô) Noleto.

Fonte: Petista de “raiz”, Olavo Noleto vai comandar verba de publicidade e propaganda de mais R$ 2 bilhões por ano | Tribuna do Planalto

Comentários

comentarios

ANÚNCIO


ANÚNCIO

Qual a sua opinião sobre a notícia? Quer comunicar correções?