Paraná Pesquisas: A vida piorou para maioria dos brasileiros após saída de Dilma

O levantamento foi feito pela Paraná Pesquisas ouviu a opinião de 2002 eleitores de 26 estados e procurou identificar qual a percepção da vida, hoje, depois do impeachment da ex-presidente Dilma Roussef.

De acordo com a pesquisa, 34,3% dos entrevistados disseram que a vida piorou após o afastamento da presidente petista. Outros 56,2% avaliaram que continua igual. Apenas 8,3% disseram que a vida melhorou desde que Michel Temer (MDB) tomou posse. Apenas 1,1% não declararam sua opinião ou não souberam responder.

LEIA A ÍNTEGRA DA PESQUISA – AQUÍ


ANÚNCIO


 

O universo desta pesquisa abrange os eleitores brasileiros. Para a realização desta pesquisa foi utilizada uma amostra de 2.002 eleitores, sendo
esta estratificada segundo sexo, faixa etária, escolaridade, nível econômico e posição geográfica. O trabalho de levantamento de dados foi feito através de
entrevistas pessoais com eleitores com 16 anos ou mais em 26 Estados e Distrito Federal e em 154 municípios brasileiros entre os dias 27 de abril a 02
de maio 2018, sendo auditadas simultaneamente à sua realização em 20,0% das entrevistas.
Tal amostra representativa do Brasil atinge um grau de confiança de 95,0% para uma margem estimada de erro de aproximadamente 2,0% para
os resultados gerais. Nas análises das questões por localidade, o grau de confiança atinge 95,0% para uma margem de erro de 3,5% para o estrato da
Região Sudeste, onde foram realizadas 871 entrevistas, 4,5% para o estrato da Região Nordeste, onde foram realizadas 539 entrevistas, 6,0% para o
estrato da Região Norte + Centro-Oeste onde foram realizadas 300 entrevistas e 6,0% para o estrato da Região Sul, onde foram realizadas 292 entrevistas.
A Paraná Pesquisas encontra-se registrada no Conselho Regional de Estatística da 1ª, 2ª, 3ª, 4ª, 5ª, 6ª e 7ª Região sob o nº 3122/18.
A amostra é representativa dos moradores das áreas pesquisadas e foi selecionada em três etapas. Na primeira etapa realizou-se um sorteio
probabilístico dos municípios onde as entrevistas foram realizadas através do método PPT (Probabilidade Proporcional ao Tamanho), considerando a
população com 16 anos ou mais residente nos municípios como base para essa seleção. Na segunda etapa, fez-se um sorteio probabilístico dos setores
censitários, onde as entrevistas foram realizadas, através do método PPT (Probabilidade Proporcional ao Tamanho), tomando a população de 16 anos ou
mais residente nos setores como base para essa seleção. Na terceira etapa, a seleção dos entrevistados dentro do setor censitário, foi feita utilizando-se
quotas amostrais proporcionais, em função das seguintes variáveis: sexo, faixa etária, escolaridade e nível econômico.

De acordo com a Resolução-TSE n.º 23.549/2017, essa pesquisa está registrada no Tribunal Superior
Eleitoral sob o n.º BR-02853/2018 para o cargo de Presidente.

Comentários

comentarios

ANÚNCIO