Ronaldo Caiado, governador de Goiás (foto Divulgação)
ANÚNCIO

Em Santo Antônio de Goiás, o governador Ronaldo Caiado (DEM) esteve numa represa de um proprietário rural para alertar, mais uma vez, sobre a necessidade de redução de consumo de água para que a Saneago consiga atender à demanda de toda região metropolitana de Goiânia.

“Nós não queremos de maneira nenhuma fazer o racionamento de água”, disse o governador, ao enfatizar que tem recebido a colaboração voluntária dos proprietários de represas na disponibilidade para o abastecimento.

RONALDO CAIADO – ENTREVISTA COLETIVA

ANÚNCIO


O sr. já teve a adesão dos produtores rurais ao racionamento? Todos já aceitaram?

Caiado: Todos já aceitaram a iniciativa primeira que nós recebemos foi do meu amigo aqui, produtor rural, José Maricato, que colocou à disposição o reservatório d’água que é propriedade particular dele, que vai abrir mão de utilizar esse água para poder fornecer à toda a população que habita Goiânia e Aparecida. Também recebi telefonema do deputado Roberto Balestra, que colocou todos os reservatórios dele à disposição, recebi de outros produtores rurais, que estão sendo cadastrados lá dentro da secretaria, para que avancemos também na captação dessa água, ou seja, até que a água chegue ao reservatório, o local específico de captação, a gente tem uma perda, então a gente tem que fazer um uso correto, usando primeiro os reservatórios mais próximos à captação para ver o volume de água que chega, para aí nós irmos buscando das demais. Não adianta nós querermos abrir todas as comportas por muito tempo. Nós temos que graduar agora, é um trabalho extremamente técnico por parte da Secretaria do Meio Ambiente para poder chegar a um calibre correto da quantidade de água que o Seu Zé pode fornecer a nós e outro mais próximo aqui, tem outra propriedade aqui logo abaixo, que é do Seu Odilon, meu amigo Odilonzinho, que eu também vou buscar essa liberação da água do reservatório dele. É lógico que o reservatório dele é bem maior do que esse. E cada um, dentro da sua possibilidade, liberando e o reforço que faço é que, realmente, os produtores rurais que fazem a captação no rio, não façam isso mais, agora nós chegamos a um quadro crítico e como tal nós vamos, mesmo aqueles que tem outorga, vamos deixar com que apenas haja um funcionamento de no máximo 2h durante a noite e não a noite toda.

São 70 propriedades que devem participar disso. O senhor já recebeu feedback desses proprietários?

A maioria se dispôs. Amanhã mesmo, à tarde, eu terei uma reunião, às 16h30, no Sindicato Rural de Inhumas, onde todos os irrigantes estarão presentes também e todos aqueles que têm reservatórios nas suas propriedades e estão dispostos a contribuir com o percentual. Você viu aí a maneira amiga, prestativa com que o seu Zé ….Você vê que, talvez, se fosse outra cultura, o cidadão ia dizer: “não, tudo bem, então deixa eu ver quanto que eu posso cobrar dessa água”. A propriedade é dele.

Mesmo com esse esforço, com a parceria com os produtores rurais, o senhor falou aí em pelo menos em 30% da captação de água de cada um desses reservatórios, como é que fica a situação do rodízio hoje, governador? A situação ainda é muito preocupante?

Caiado: Muito preocupante, nós chegamos a um patamar de pouco menos de mil e quinhentos litros e houve sinal de alerta máximo. Nós estamos nos esforçando ao máximo para não ter que precisar fazer o rodízio. Nós estamos aqui ao vivo e é importante dizer para as pessoas se conscientizarem, por favor, baixe o consumo, faça o uso consciente da água, eu sei que o momento é de forte calor, mas vamos dar nossa contribuição.

“Nós estamos fazendo uma fiscalização

maior também no setor urbano”. – Ronaldo caiado

A medida é suficiente para atender e durante quanto tempo? Quais as outras medidas?

Caiado: O que estamos fazendo é, a cada dia, tratando dentro das possibilidades o que nós temos. Nós não queremos de maneira nenhuma fazer o racionamento de água. O que nós queremos é buscar todas as alternativas e você vê o quanto valeu à pena a entrevista de ontem. Quantos produtores já não se colocaram à disposição? Essa consciência é muito importante.

São 70 grandes represas, né, governador? O senhor já pode contar com quantas hoje?

Caiado: Eu não tenho esse balanço final, mas eu posso dizer a você que ninguém vai negar a fornecer uma parcela da sua água, eu tenho certeza absoluta dessa solidariedade do homem do campo é total, eu não terei nenhuma dificuldade em nenhum reservatório que tenha a montante da captação da Saneago.

Quais as outras medidas que estão dentro do planejamento do governo?

Caiado: A outra medida seria o racionamento, o que nós estamos, a todo o momento, pedindo ao cidadão, cada vez mais, tenha uso racional da água, economize, não gaste, nós temos os avanços que precisamos tomar também onde tem um consumo exagerado de água na cidade, tipo lava jatos, lugares onde você nota um desperdício neste momento, para que haja uma fiscalização maior também. Nós estamos fazendo uma fiscalização maior também no setor urbano.

Comentários

comentarios

ANÚNCIO