28 de fevereiro de 2024
Goiás • atualizado em 24/02/2022 às 10:33

Mesmo sem festas de Carnaval, cidades goianas se preparam para receber turistas

(Foto: Divulgação).
(Foto: Divulgação).

Mesmo com o cancelamento das festas de carnaval, muitos municípios goianos estão se preparando para receber os turistas e informaram que manterão abertas as estruturas para receber e atender os visitantes, como hotéis, pousadas, bares, restaurantes, museus e balneários.

O Presidente da Goiás Turismo, Fabrício Amaral enfatizou a necessidade dos cuidados por causa da pandemia. “O turismo talvez seja o segmento que mais apoia a vacinação. Temos campanhas em nível nacional. Eu, como presidente do Fórum Nacional de Turismo, venho intensificando a segunda, terceira, quarta, quinta doses. A gente precisa intensificar vacinação em todas as faixas etárias e só assim o turismo vai voltar com força”, ressaltou.

A secretária de Turismo de Pirenópolis, Vanessa Leal, e o da Cidade de Goiás, Rodrigo Borges, confirmaram que nos seus municípios, mesmo sem os eventos públicos de carnaval, as cidades continuarão receptivas e preparadas para receber os turistas e demais visitantes.

Confira como será o carnaval em algumas cidades

Leia Também

Na Cidade de Goiás haverá a permissão de realização de bailes. Segundo o Secretário de Turismo e Desenvolvimento Econômico, Rodrigo Borges Santana, a prefeitura vai exigir o cumprimento de todas as normas já definidas para a permissão de aglomerações, incluindo a exigência do passaporte de vacina. Entretanto, recomenda a não promoção do evento.

Em Caldas Novas a decisão também é que não haja festa promovida pelo poder público. e a prefeitura aguarda orientações do comitê local. Já os eventos particulares, vão precisar de concessão de alvarás do Comitê de Enfrentamento à Covid-19 para serem realizados.

Em Goiânia, novas regras adotas pela prefeitura como medida de prevenção e enfrentamento da Covid-19, foi anunciado a proibição das festas de carnaval. Os grandes eventos, como shows e baladas, terão limite de público em até 500 pessoas. As medida foram decididas depois do prefeito de Goiânia, Rogério Cruz (Republicanos) se reunir com representantes do setor econômico.

Leia também:


Leia mais sobre: / Goiás