24 de fevereiro de 2024
CEDO DEMAIS • atualizado em 04/12/2023 às 12:27

Marconi Perillo diz que ainda é cedo para falar sobre candidatura ao Governo em 2026 e reforça oposição a Caiado

Ex-governador de Goiás assume o PSDB com missão de reconstruir partido e em entrevista ao Jornal O Popular reforça oposição a gestão Caiado
Marconi Perillo ao tomar posse como presidente nacional do PSDB (Foto: Reprodução/Youtube)
Marconi Perillo ao tomar posse como presidente nacional do PSDB (Foto: Reprodução/Youtube)

Levado a posição de presidente nacional do PSDB na última quinta-feira (04/12), o ex-governador de Goiás, Marconi Perillo avalia que ainda pé muito cedo para falar sobre uma eventual candidatura ao Palácio das Esmeraldas, em 2026 e reforça que os tucanos vão intensificar oposição a atual gestão do governador Ronaldo Caiado (União Brasil).

“Da mesma forma que está muito cedo para a eleição presidencial, também está muito cedo para discutir sucessão estadual”, disse Perillo em entrevista ao Jornal O Popular. Na sua última campanha eleitoral, Marconi até tentou financiar uma disputa ao Palácio das Esmeraldas, mas no fim das contas concorreu ao Senado Federal perdendo a única cadeira para o empresário Wilder Morais (PL), eleito para a Casa Alta do parlamento brasileiro.

Marconi destaca no entanto, postura antagônica a atual gestão. “O que eu posso reafirmar é o nosso compromisso de fazer oposição ao governo do estado, colocando também o dedo nas feridas. É apontar os erros, os caminhos e, principalmente, não aceitar que tentem tratar Goiás como um curral”, acrescentou.

Perillo também criticou a forma como o governo de Caiado tem conduzido o estado. “O povo goiano não é gado. O povo goiano é um povo inteligente, que tem discernimento, que avalia as situações”, disse. “Quer dizer, a gente não pode aceitar que coronéis da política tentem garrotear o nosso estado, como se fosse uma fazenda”, afirmou.

Leia Também

Perillo disse ainda que o PSDB defende transparência, participação e debate. “É preciso transparência. É preciso ter participação, debate. Que tenha cumprimento à Constituição e às leis”, concluiu.


Leia mais sobre: Política