21 de fevereiro de 2024
Manchete • atualizado em 23/02/2021 às 11:47

Governo de Goiás retoma distribuição de kits alimentação para os estudantes da rede estadual

Alunos da rede estadual de Goiás recebe kit alimentação. Foto: Conset Ceduc.
Alunos da rede estadual de Goiás recebe kit alimentação. Foto: Conset Ceduc.

Os estudantes da rede pública estadual de Educação recebem desde esta segunda-feira (22/2) os kits alimentação. De acordo com a pasta, serão destinados cerca de R$60 milhões em recursos do Tesouro Estadual (Fundo Protege) para a aquisição dos itens.

Devido à retomada parcial das aulas presenciais em 8% das escolas estaduais, a distribuição dos kits terá diferentes critérios neste ano: por exemplo, escola com o sistema de aula híbrido, os alunos em regime presencial devem receber a merenda escolar na própria escola, já os demais, que acompanham as aulas de forma remota, receberão os kits de alimentos.

Assim como em 2020, os kits serão compostos por gêneros alimentícios básicos não perecíveis (2 kg de arroz tipo 1; 1 kg de feijão tipo 1; 1 kg de macarrão e 340 g de molho de tomate) e itens da agricultura familiar, incluindo 3kg verduras, frutas ou legumes variados. Esses alimentos serão adquiridos pelas escolas, dentro do prazo estabelecido, por meio de licitação e/ou chamada pública.

Segundo a pasta, o primeiro kit, referente aos meses de janeiro e fevereiro de 2021, deve ser entregue nas escolas a partir do dia 22 de fevereiro. Nesse período, os pais ou responsáveis dos estudantes que estão em regime de aulas não presenciais deverão comparecer na unidade escolar do aluno para fazer a retirada do kit e assinar o termo de recebimento.

Leia Também

“É um período maior para a escola e os pais se organizarem”, afirma.

Além disso, as escolas receberam orientações do Protocolo de Biossegurança para Retorno das Atividades Presenciais nas Instituições de Ensino de Goiás para garantir a segurança durante a distribuição dos kits.


No caso dos estudantes do Centros de Ensino em Período Integral (Cepis), eles terão critérios específicos para uso dos recursos da merenda escolar.

“Para os alunos do tempo integral que retornarão serão distribuídas, pelo menos, duas refeições. A gente entende que o valor nutricional, o mínimo que ele precisa, ele já vai receber na escola”, explica Terezilda.


Leia mais sobre: / / / Manchete / Política