28 de fevereiro de 2024
Destaques • atualizado em 05/02/2021 às 09:01

Governo de Goiás libera cerca de R$ 2,5 milhões para pagar dívidas de 2018 da área cultural

O governo de Goiás assinou a ordem de pagamento de cerca de R$ 2,5 milhões nesta quinta-feira (4/2) para pagar pendências na área da cultura que foram deixadas pela gestão anterior. Segundo o governador Ronaldo Caiado, sua gestão “está resgatando o cenário cultural no Estado” e acrescentou ainda que “isso é importantíssimo para nós”.

A solenidade para assinatura do documento ocorreu no Palácio das Esmeraldas, e Caiado explicou que esta ação só é possível devido à preocupação do governo em recuperar a saúde fiscal de Goiás.

“Quando se tem responsabilidade fiscal, você está dando garantia aos servidores e ao cidadão que está aplicando corretamente o dinheiro. Isso é uma obrigação nossa”, afirmou Caiado.

Estes recursos são do Fundo de Arte e Cultura do Estado de Goiás (Fundo Cultural) e chegarão a mais de 400 fornecedores e prestadores de serviços envolvidos no Festival Internacional de Cinema e Vídeo Ambiental (Fica), Canto da Primavera e Orquestra Filarmônica, portanto atendendo às pessoas que realizam trabalhos na área cultural em Goiás.

Leia Também

“Estamos quitando aquilo que ficou de ser pago ao cidadão que ajudou a montar o palco, ao que fez a alimentação e aos prêmios que foram à época definidos”, ressaltou.

César Moura, secretário interino da Secretaria de Cultura (Secult) e titular da Secretaria da Retomada, explicou que os débitos deixados em aberto pela antiga gestão criaram uma situação delicada para todos que fazem parte dessa área em Goiás.

“Tínhamos uma política, antes, de fazer editais sem recursos. Isso foi se acumulando. Além disso, foram feitos também festivais sem recursos. Estamos ajudando uma classe que está sem trabalhar”, acrescentou o secretário.

De acordo com a assessoria do governo de Goiás, para quitar débitos do Fica, o valor destinado será de R$ 776.600,00.0O; para o Canto da Primavera, R$ 537.599,51.; a Orquestra Filarmônica de Goiás, R$ 1.247.449,10.

Silas Falcão afirmou que a Orquestra Filarmônica enfrentou diversos problemas causados pelas dívidas acumuladas e que esta situação prejudicou a organização das apresentações.

“A moral da orquestra ficou completamente abalada”, disse. “Eu agradeço a Deus por hoje termos um governador que se importa com a cultura”, explicou.

A secretária da Economia de Goiás, Cristiane Schmidt, disse que é preciso ter responsabilidade no que tange à economia e que Caiado não deixará “herança maldita” no estado.

“Temos que prometer o que podemos fazer. É um líder que quer deixar legado para o Estado de Goiás. Ele não quer deixar uma herança maldita”, pontuou a secretária.

Ronaldo Caiado afirmou ainda que conversa com o governo federal para que haja uma prorrogação nas inscrições da Lei Aldir Blanc para que mais pessoas possam participar do auxílio.

“O tempo foi escasso para que as prefeituras pudessem fazer com que todos aqueles que são trabalhadores da área da cultura pudessem se inscrever. Um apoio importantíssimo para a cultura de todos os Estados e para os municípios”, disse.


Leia mais sobre: Destaques / Política