24 de fevereiro de 2024
Cidades • atualizado em 10/09/2022 às 17:47

Frentistas prometem paralisar as atividades nesta segunda-feira (12)

(Foto: Divulgação)
(Foto: Divulgação)

O Sindicato dos Empregados em Postos de Serviços de Combustíveis e Derivados de Petróleo no Estado de Goiás (Sinpospetro-GO) convocou todos os frentistas para aderirem a greve geral a partir da próxima segunda-feira (12).

Conforme explica o sindicato, o movimento será feito para reivindicar o ajuste salarial da classe, que não recebe há três anos. A solicitação do reajuste é de 21,42%, de acordo com Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC). Portanto, segundo Sinpospetro, o sindicato patronal, Sindicato do Comércio Varejista de Derivados de Petróleo no Estado (Sindisposto), não ofereceu nenhum reajuste e não tem proposta a ser feita.

A greve iniciará no Posto Shell 136 e seguirá, ainda na parte da manhã, para mais dois postos de combustíveis da capital. No período vespertino, o ato será feito em outros dois estabelecimentos.

Além disso, o Sinpospetro se compromete a proteger juridicamente todos os trabalhores que forem perseguidos ou demitidos injustamente por aderirem ao movimento. A categoria em Goiás conta com aproximadamente 4.500 filiados e a paralisação pode atingir mais de 1.000 postos em Goiânia e na Região Metropolitana.

Leia Também

De acordo com o presidente do Sindiposto, Márcio Andrade, há uma intransigência do Sindicato laboral em não abrir mão de nada, e segundo ele, não tem com negociar. Segundo ele agora é aguardar os próximos passos, caso a greve tenha adesão, o Sindiposto irá analisar quais providências serão tomadas.


Leia mais sobre: / / / Cidades / Destaques