21 de fevereiro de 2024
Destaques • atualizado em 04/02/2021 às 12:45

Famílias poderão receber Renda Família, da prefeitura de Goiânia, e Auxílio Emergencial, diz presidente da Câmara

O presidente da Câmara Municipal de Goiânia, Romário Policarpo (Patriota), disse que famílias goianienses poderão receber o Renda Família da prefeitura de Goiânia e também o Auxílio Emergencial, se, este último, for prorrogado pelo governo federal. Os critérios para participar do programa serão explicados.

“Do jeito que ficou hoje, pode somar os dois benefícios, a pesar que eu não acredito que o governo federal retorne com esse benefício tão próximo, até por falas do próprio presidente da República, de que o orçamento está estourado e que não pode mais pagar esse benefício. Então da forma que ele foi escrito [o Renda Família], foi olhando fatores sociais e econômicos das famílias, independente do pagamento ou não de outros benefícios”, explicou Policarpo em entrevista na manhã desta quinta-feira (4/2), à Rádio Bandeirantes.

O parlamentar também é o ‘vice-prefeito’ de Goiânia, já que está na próxima vaga da linha sucessória para chefe do Executivo goianiense, haja vista que o vice-prefeito da capital acabou tornando-se prefeito após a morte de Maguito Vilela, em 13 de janeiro, vítima de complicações da covid-19. Ainda de acordo com Policarpo, a prefeitura e a Câmara estão preocupadas com a situação de vulnerabilidade de famílias do município que serão beneficiados com o programa.

“Uma demonstração real que a prefeitura de Goiânia em meio a uma pandemia maluca como essa, inclusive eu ouvi a entrevista sobre vacina e eu quero me vacinar o mais rápido possível, mas a gente sabe que essa realidade está um pouco distante. Um problema que o próprio país se encontra hoje que os próprios governantes nos colocaram, né? Como esta vacina demora, a gente sabe que tem essas perdas dos empregos, comércios fechando, essas restrições… e essa ajuda que muitos acham que é pouco, pode fazer a diferença na mesa de uma família no final do mês. Então a prefeitura está preocupada, a Câmara está preocupada, então agente vai fazer o possível para que no próximo mês isso possa chegar dentro do lar dessas pessoas que mais precisam aqui em Goiânia”, ressaltou o presidente.

Leia Também

“Eu vi algumas conversas com alguns parlamentares, acho que a conversa é sempre salutar, não só esse projeto, mas qualquer outro. O que temos que ter cuidado é pra não estourar o orçamento da prefeitura com emendas que às vezes, que a gente entende que elas têm caráter de ajudar ainda mais a sociedade, mas que num futuro próximo pode causar um problema ainda maior”, destacou o vereador.

O presidente da Câmara disse ainda que continua contrário ao fechamento total do comércio em Goiânia, ele defende uma abertura com cuidados sanitários para evitara a disseminação do novo coronavírus.

“Minha posição continua a mesma, acho que não tem que fechar comércio, acho que tem que ter medida de restrições, mas não de distanciamento. Eu continuo contrários a essas medidas, não é porque passou a eleição que vou mudar meu posicionamento, é claro que você tem que repensar, os casos estão aumentando, você tem de ter cuidado, mas eu sou totalmente contrario a qualquer fechamento de comércio”, concluiu Policarpo.

Nesta quarta-feira (3/2), Integrantes do Centro de Operações de Emergência (COE) de Goiânia se reuniram para avaliar uma flexibilização no decreto municipal da Lei Seca, com isso abrindo uma possibilidade para estender o fechamento de bares e restaurantes até à meia-noite.


Leia mais sobre: Destaques / Política