21 de fevereiro de 2024
Política • atualizado em 08/10/2022 às 15:04

Ex-carcereiro da PF onde Lula ficou detido declara voto no petista

(Rafaela Felicciano)
(Rafaela Felicciano)

O responsável pela carceragem da Polícia Federal em Curitiba, onde o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) ficou preso por 580 dias por conta das investigações da Operação Lava Jato, afirmou, ao colunista Thiago Herdy, do site UOL, que seu voto para presidente no segundo turno será para o petista.

“Diante da tragédia que estamos vivendo, eu declaro voto com todo vigor do meu peito”, afirmou o policial. Atualmente integrado à PF em Lima, no Peru, Jorge Chastalo era responsável pela escala de agentes que cuidavam da vigilância de Lula e também decidia o que era permitido na cela.  

Na ocasião Lula ficou 580 cumprindo pena por investigações da Lava Jato. Nesse período, segundo o policial, ele conheceu uma pessoa genuína e preocupada em enfrentar a desigualdade social.

“A sensibilidade de sua preocupação com a pobreza, com a desigualdade social, com o bem-estar das pessoas, tudo isso se mostrou algo muito verdadeiro nele e foi algo que me marcou. Nunca o vi deprimido, na carceragem era um sujeito humilde e que sempre demonstrou gratidão e compaixão por quem estava ali com ele”. 

Leia Também

Crítica a Bolsonaro

Ao colunista, o agente disse que também pretende lançar um livro sobre os dias em que conviveu com Lula. “Diante deste absurdo que a gente tá vivendo, de ataque à democracia, essa falta de civilidade, de desamor gigante, do ódio estimulado entre as pessoas, tenho absoluto desprezo pelo governo que está aí. Como disse um dia Ulisses Guimarães, ‘tenho nojo’. Então me sinto moralmente obrigado a me manifestar”, criticou. 


Leia mais sobre: / / / / Política / Brasil