Eleição para governador de Goiás: Duas pesquisas com o mesmo cenário

ANÚNCIO

As duas pesquisas para governador de Goiás divulgadas nesta primeira semana de junho com a opinião do eleitor goiano indicam o mesmo cenário, apesar de números diferentes, naturalmente. A primeira rodada da ExataOP/ Tribuna do Planalto (09/06) e a segunda Serpes / O Popular (10/06) mostraram o avanço do governador José Eliton Figueirêdo Júnior (PSDB) para o segundo lugar enquanto o senador Ronaldo Caiado (DEM) tem uma liderança no teto com oscilações para baixo.
Cinco questões sobre as duas pesquisas:

1- JOSÉ ELITON PEGOU A ASCENDENTE

Mantido o ritmo de crescimento, José Eliton poderá chegar ao final de julho próximo, ou além, de 20% das intenções de voto e, assim, ser reconhecido como um candidato muito competitivo. Afinal, ser governador, faz muita diferença numa disputa. Além disso, Eliton tem um time de apoiadores que soma, pois estão entre os preferidos para senador: Marconi Perillo (PSDB); Demóstenes Torres (PTB); Lúcia Vânia (PSB). Os outros não tem nenhum nome próximo do que um destes possa representar do ponto de vislta eleitoral.

2- INDECISOS DIFICULTAM PARA A OPOSIÇÃO

O volume de eleitores indecisos é um problema para todos os candidatos, mas principalmente para os oposicionistas Caiado e Daniel Vilela (MDB). Esse eleitor quer segurança e resultado e ainda não entende quem oferece esta perspectiva pra ele.

3- CAIADO E O INCÔMODO DO TETO

ANÚNCIO


Nenhuma pesquisa tem mostrado crescimento de Caiado, ao contrário, as oscilações negativas são um incômodo. Afinal, por que o discurso do candidato não tem conquistado a manutenção da posição? Por que a tão falada alternância de poder ainda não encantou uma parte significativa dos eleitores? A leitura do perfil dos eleitores de Caiado na pesquisa ExataOp/Tribuna do Planalto dá um caminho para o entendimento.

4- DANIEL E O ADVERSÁRIO REAL

Das rodadas recentes, nenhuma pesquisa mostrou que a candidatura de Daniel Vilela tenha ganhado força, ao contrário, está em empate técnico com a candidata do PT, Kátia Maria, na Serpes. Ele padece, então, da divisão do partido, e tem como maior opositor o senador Caiado. Os dois trabalham na mesma faixa de eleitores que são anti-marconistas. A única possibilidade de crescimento para ele seria uma vertiginosa queda do senador do DEM com a transferência da intenção de votos para o presidente do MDB. Hoje, essa curva não existe.

5- O QUE O ELEITOR QUER?

Tanto na pesquisa quantitativa Serpes / O Popular quanto na pesquisa Exata OP/ Tribuna do Planalto, em diversas variantes, ainda há sinais de distanciamento e de um certo ceticismo. Um cidadão, na Rádio Bons Ventos, deu um sinal: “Eu não quero saber se um governador é contra ou a favor do casamento gay, eu quero saber é de resultado”. Entenda-se, então, que ele quis dizer: “Quem é que vai melhorar a minha vida?”; “Quem é que me dá segurança do salário em dia? (No caso, do servidor público)”; “Quem é que vai me dar acesso à saúde?”. O eleitor fala direto.


SOBRE ELEIÇÕES 2018:

 

Comentários

comentarios

ANÚNCIO