28 de fevereiro de 2024
Política • atualizado em 12/09/2022 às 17:54

Diferença entre Caiado e Mendanha cai para 17,9 pontos, diz Pesquisa Diagnóstico/Diário de Goiás

(Foto: Montagem)
(Foto: Montagem)

A terceira rodada do levantamento Diário de Goiás, realizada pela Diagnóstico Pesquisas e divulgada na manhã desta segunda-feira (12), mostra que o atual governador Ronaldo Caiado (UB), mesmo apresentando pequena variação negativa dentro da margem de erro (3,2 pontos) entre as duas rodadas da pesquisas divulgadas nos dias 10 e 28 de agosto, lidera as intenções de voto para a reeleição ao Palácio das Esmeraldas.

Nos levantamentos anteriores, na pesquisa estimulada, Caiado aparecia com 47,6% no dia 10 de agosto, 45,1% no dia 28, e nesta segunda-feira (12), o atual governador ainda lidera com 44,9%. Em segundo lugar, o Patriota Gustavo Mendanha, aparecia com as respectivas intenções: 26% no dia 10, oscilou quase dois pontos para baixo no dia 28 com 24,8% e agora oscilou para cima mais de 2 pontos percentuais e aparece com 27%.

A diferença entre Caiado e Mendanha era de 20,3 pontos e agora é de 17,9. A variação negativa 2,4 pontos acontece dentro da margem de erro de 3,2 pontos percentuais.

Considerando os votos válidos, Caiado tem 56,54% das intenções de voto. No entanto, por excluir da amostra 170 das 900 entrevistas, a margem de erro é maior na análise desta variável. A pesquisa teve coleta de dados no formato presencial.

Leia Também

Ainda conforme o levantamento, os votos brancos e nulos também apresentaram quedas. No dia 10 de agosto somavam 8,8%, no dia 28 subiu para 14,3% e agora oscilou para baixo, com 10,6%. Já os indecisos teve aumento de 1,2 pontos percentuais passando de 7,1% conforme a última rodada, agora somam 8,3%.

Quase metade ainda estão indecisos

Na pesquisa espontânea, quando os nomes dos candidatos não são apresentados para os eleitores, o número de indecisos variou negativamente se comparando os últimos levantamentos. Na última rodada divulgada, somavam 51% de eleitores que não tinham definidos seus votos. Nesta segunda-feira (12), 48,3% ainda tem dúvida em quem votar para o governo de Goiás e 1% soma os votos brancos e nulos.

Na espontânea, Ronaldo Caiado lidera com 30% das intenções, em seguida, Gustavo Mendanha 15,9% e Major Vitor Hugo, 2,7%. Como a entrevista não mostra o nome dos candidatos, os entrevistados nesta modalidade podem citar o nome de qualquer candidato, sendo assim, o ex-governador Marconi Perillo (PSDB) foi mencionado por 0,6% dos eleitores. Logo, Wolmir Amado (PT), obteve 0,4% e os demais candidatos ficaram com os respectivos 0,1%.

14,8 pontos somam segundo turno entre Caiado e Mendanha

Na simulação de segundo turno, entre Ronaldo Caiado e Gustavo Mendanha, há oscilação, portanto, se fosse hoje, o democrata venceria com 49,8% contra 35% do ex-prefeito de Aparecida de Goiânia. No levantamento anterior, A diferença era de 22,9 pontos. Caiado liderava com 53,9% e Mendanha com 31,0%. 9,7% responderam que não votariam em nenhum ou em branco. 6,6% não sabem ou não quiseram opinar.

O maior desafio da oposição, assim, é levar a eleição para o segundo turno. No entanto, Mendanha precisar ganhar alguns pontos e contar com o crescimento dos candidatos Major Victor Hugo e, inclusive, o candidato de Luís Inácio Lula da Silva, Wolmir Amado.

Caiado também lidera rejeição

A pesquisa também perguntou aos entrevistados quais ou qual candidato eles não votariam de jeito nenhum. Neste cenário, o atual governador lidera a rejeição com 20,2%. Major Vitor Hugo, 11,8%, Wolmir Amado (PT), 7,8%, Gustavo Mendanha, 7,1%, Cíntia Dias, 7,0%, Edigar Diniz, 6,8% e Professora Helga, 5,9%. Do total de entrevistados, 41,7% não rejeitam nenhum candidato e 18,9% não sabem ou não opinaram.

Metodologia

A pesquisa realizou 900 entrevistas presenciais entre os dias 8 e 11 de setembro e foi registrada no TSE sob os números GO-09400/2022. A margem de erro é de 3,2 pontos percentuais para baixo ou para cima com intervalo de confiança de 95%. A aplicação dos questionários foi feita pelo método de amostragem por cotas. Foram consideradas para cotas as variáveis sexo, faixa etária e região. Foram checados, no mínimo, 10% dos questionários de cada pesquisador, seja in loco por supervisores ou, posteriormente, por telefone.  Foram designados 20 entrevistadores, 2 coordenadores e 1 supervisores. 


Leia mais sobre: / / / / Política / Destaques