Marcos cipriano. Jornalista
Marcos Cipriano, jornalista (Foto Arquivo pessoal Facebook)
ANÚNCIO

Tudo bem que o juiz Sérgio Moro tenha mandado para a cadeia criminosos de colarinho branco, como nunca se viu antes na história do Brasil.
Agora, não fica bem para ele aparecer rotineiramente ao lado de figuras tucanas e desfilar em eventos empresariais como o Lide, idealizado pelo ex-prefeito de São Paulo João Doria, entidade que para muitos não resistiria a uma CPI, dado às ligações perigosas com o dinheiro público.

Com bem diz o articulista Reinaldo Azevedo, “não é normal, decoroso ou corriqueiro que o juiz desfile mundo a fora o seu charme de caçador de corruptos”.

Se atende a convites da Lide sem fazer cerimônia, Moro igualmente poderia participar de eventos organizados pelo MST. Será que faria isso?

ANÚNCIO


A verdade é que, no exercício de sua tarefa de julgar, quando mais discreto e equilibrado for o juiz, melhor para a sociedade. A praga do engajamento, seja de esquerda ou de direita, vem em prejuízo à correta aplicação da justiça. Aqui vale aquela máxima filosófica de que “a mulher de César não basta ser honesta, deve parecer honesta”.

Comentários

comentarios

ANÚNCIO