22 de fevereiro de 2024
Goiânia • atualizado em 05/05/2020 às 15:58

Comurg projeta redução de R$ 7 milhões na folha

Comurg está em fase de reestruturação. Foto: Prefeitura de Goiânia.
Comurg está em fase de reestruturação. Foto: Prefeitura de Goiânia.

A Companhia de Urbanização de Goiânia (Comurg) espera economizar R$ 7 milhões a partir de auditoria a ser realizada na folha de pagamento. A Comurg contratou a Fundação Instituto de Pesquisa (Fipe) por R$ 1.212 milhão, para realizar o trabalho. A ação faz parte do processo de reestruturação da empresa.

O custo geral da companhia era, à época, de cerca de R$ 40 milhões mês e por servidor na ordem de R$ 422, enquanto a média nacional para companhias que prestam o mesmo serviço é de R$ 103 por funcionário.

A Fipe terá até 12 meses para entregar o trabalho. No entanto, a companhia espera que em seis meses seja possível colher alguns resultados. Em 2017, o prefeito Iris Rezende havia criticado e disse na ocasião que havia “2 mil pilantrões” na companhia, pessoas que estariam recebendo vantagens indevidas.

“Quando eu falo em “pilantrões”, eu falo nos espertalhões, as pessoas que se acomodam sem retribuir a sociedade aquilo que ganham. Na Comurg se temos em torno de 8 mil servidores, 2 mil seriam dispensáveis imediatamente, disse o prefeito na oportunidade.

Leia Também

Veja nota da Comurg sobre o assunto:

A Companhia de Urbanização de Goiânia (Comurg) tem implantado ações e programas de reestruturação com objetivo de economizar gastos desnecessários. Sendo que a contratação da Fundação Instituto de Pesquisa (Fipe) tem prazo de seis meses, a contar da assinatura do contrato nos termos legais da Lei 13.303/16. O objetivo é a elaboração de estudo e levantamento da folha de pagamento mensal desta Companhia, que é regida pela Consolidação da Leis Trabalhistas (CLT), e requer aplicação de legislação específica.

Após as planilhas e relatórios finalizados pela fundação, a Comurg objetiva economizar ao menos R$ 7 milhões com a dinamização de um novo sistema de gestão da folha de pagamento (e de recursos humanos) que vai atender a requisitos básicos com maior índice de parametrização, em relação às novas práticas de recolhimento estabelecidas pelas leis e normas vigentes.


Leia mais sobre: / Goiânia / Notícias