21 de fevereiro de 2024
Política • atualizado em 26/08/2022 às 17:48

Candidatos ao governo de Goiás lamentam ausência de Caiado em primeiro debate

Os candidatos ao governo de Goiás não perdoaram a ausência do governador Ronaldo Caiado (União Brasil) no primeiro debate promovido pelo Uol, em parceria com o Portal 6, que aconteceu na noite desta quinta-feira (25), em Goiânia.

Portanto, sem a presença do atual governador, o debate foi confirmado com outros cinco candidatos: Gustavo Mendanha (PATRIOTAS); Major Victor Hugo (PL); Wolmir Amado (PT); Cíntia Dias (PSOL) e Edigar Diniz (NOVO).

Primeiro a chegar, o ex-prefeito de Aparecida de Goiânia, Gustavo Mendanha, lamentou a postura de Caiado. “Eu não sei o porque o medo de vir aqui poder estar cara a cara com todos os candidatos. Vim em respeito aos candidatos e ao portal, principalmente a população de Goiás. Vim aqui fazer os apontamentos daquilo que não acontece no Estado mas apontar o que podemos fazer para levar Goiás para um novo momento”, destacou.

Mendanha havia dito que só iria a debates em que o governador estivesse presente, mas decidiu revisar o posicionamento. Agora, considera ir em outros, independente da presença do democrata. “A princípio sim, estarei participando dos debates e até desafio o governador para que ele possa participar e defender o seu legado”, pontuou.

Leia Também

Única mulher candidata entre os postulantes ao cargo, presentes no debate, Cíntia Dias também subiu o tom contra o governador. “A ausência do Caiado mostra que ele não respeita os eleitores e que ele não tem respeito pelos adversários, além de que ele não quer debater o Estado. Ele não veio falar ao que veio e o que propõe de diferente nessa eleição. É lamentável”, pontuou.

O ex-reitor da Pontifícia Universidade Católica (PUC-GO), Wolmir Amado, candidato do PT, também adotou postura semelhante. Disse que era uma pena que o governador não estivesse presente para responder dúvidas e questionamentos de postulantes. “Lamento muito que o governador candidato não esteja aqui para dialogar conosco e colocarmos pontos de vistas diversos e confrontarmos a diversidade de nossos projetos e para saber também dele qual a visão para o futuro. Vai continuar assim ou teremos melhorias? Essa é a grande questão que o debate sinaliza. Sua ausência mostra uma ausência da exposição mais clara, não construída em marketing mas no confronto da verdade sobre a situação do Estado”, concluiu.


Leia mais sobre: / / / Política