24 de fevereiro de 2024
Goiás • atualizado em 03/08/2023 às 11:12

Caiado participa do Interleite Brasil 2023, que acontece pela 2ª vez em Goiânia

Na ocasião, o governador de Goiás aproveitou a presença de diversos players do segmento para conclamar o envolvimento no debate sobre a Reforma Tributária
Ronaldo Caiado lembrou que Brasil é respeitado internacionalmente pela produção leiteira. (Foto: reprodução)
Ronaldo Caiado lembrou que Brasil é respeitado internacionalmente pela produção leiteira. (Foto: reprodução)

O governador Ronaldo Caiado destacou a importância do setor para economia goiana e o trabalho da gestão para incentivar o crescimento contínuo, na abertura do 21º Interleite Brasil. Goiás, que ocupa a sexta posição no ranking nacional de produção de leite, sediou o evento, que acontece pela segunda vez em Goiânia, começou nesta quarta-feira (02) no Centro de Convenções, e segue até esta quinta-feira (03).

“Somos respeitados internacionalmente pela capacidade de produção e qualidade do produto. Que a tecnologia continue sendo instrumento de fortalecimento. Como médico e produtor rural, acredito que é na pesquisa, na ciência e no conhecimento que vamos disputar de igual para igual com o mundo”, destacou o chefe do Executivo, durante o Interleite Brasil.

O governador destacou a vocação empreendedora dos representantes, que têm absorvido todos os avanços tecnológicos para atender cada vez mais as exigências do mercado. Em contrapartida, o Estado cumpre sua parte no zelo com os impostos, que são revertidos em investimentos em áreas fundamentais, como infraestrutura e segurança pública.

“A segurança rural de Goiás, modéstia à parte, é a melhor do país, copiada até por outros países. Hoje temos nossas propriedades georreferenciadas, com capacidade de inibir qualquer crime e deixar com que as pessoas vivam tranquilamente, trabalhando em paz”, afirmou.

Leia Também

“É importante trazer também a visão do leite. Não só na produção, mas na área social. Temos grandes desafios pela frente para garantir qualidade de vida e cidadania para todos, inclusive para os que não vivem dentro da cidade”, ponderou. “Ele vive com todas as dificuldades que tem que enfrentar no dia a dia, dentro da sua propriedade rural. E essa é a parte que, como governador, eu tenho me dedicado enormemente”, acrescentou.

A nível nacional, a produção brasileira de leite cresceu 143,7% entre 1990 e 2021, passando de 14.48 para 35.30 bilhões de litros ao ano, de acordo com a Pesquisa da Pecuária Municipal (IBGE/2021). Contudo, entre 2006 e 2017, o número de pecuaristas de leite no país caiu 13%, saindo de 1,350 milhão para 1,176 milhão.

Este e outros dados tem sido apresentados no InterLeite Brasil 2023, que é o maior da cadeia produtiva do leite no país e tem como tema “A estratégia de negócios chegando à produção de leite”. O evento conta com uma feira de negócios e também diversas palestras que tratam de estratégias de negócios na produção leiteira, combinada com a questão ambiental e energética.

“O Sindleite é um apoiador dessa disseminação de conhecimento. Quanto mais cabeças pensantes estiverem juntas, mais eficiência teremos, e sairemos mais rapidamente de qualquer crise ou da impossibilidade de criar movimentos novos”, pontuou o presidente do sindicato, Jair José Antônio Borges.

Serão realizados quatro painéis para debater o ambiente e as estratégias de negócios na produção primária, sustentabilidade (agricultura regenerativa, bioinsumos e geração de energia) e rentabilidade das propriedades familiares.

“Essa troca é enriquecedora, principalmente para nós goianos e produtores. Para que a gente possa sair daqui de um evento como esse e levar para dentro das nossas propriedades soluções discutidas”, frisou o superintendente do Serviço Nacional de Aprendizagem Rural em Goiás (Senar Goiás), Dirceu Borges.

Um destaque foram os números do Censo Agropecuário do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), que mostram que de 2006 a 2017, a quantidade de pecuaristas de leite no país caiu 13%. Saiu de 1,350 milhão para 1,176 milhão.

No entanto, a produção mais que dobrou de 1990 a 2021. Passou de 14,48 bilhões de litros por ano para 35,30 bilhões, uma expansão de 143,7%. Demonstração clara de que investimentos em tecnologia e genética aumentaram a produtividade do rebanho, mesmo com menor número de pecuaristas.

Secretaria de Agricultura, Pecuária e Abastecimento de Goiás (Seapa), que é parceira na organização do evento, tem uma equipe técnica na programação e também orienta pecuaristas durante o evento.

“Ronaldo Caiado é uma pessoa importante dentro do agro brasileiro. Vem liderando essa luta há muitos anos e é um dos governadores mais envolvidos com a nossa atividade rural”, reconheceu o presidente da Associação Brasileira dos Produtores de Leite (Abraleite), Geraldo Borges.

“Pretendemos superar o número de participantes, de empresas e produtores. O Interleite Brasil é um evento de importância nacional e o Senar Goiás, juntamente com o Sebrae Goiás, apoiam iniciativas como essas por ser uma oportunidade de compartilhar experiências e troca de conhecimentos para os nossos produtores e técnicos”, continuou Dirceu.

Antônio Carlos de Souza Lima Neto, superintendente do Sebrae Goiás, explica que é missão do Sebrae Goiás apoiar as micro e pequenas empresas em Goiás, inclusive o produtor rural. “Temos diversas soluções que poderão ajudar o empreendedor do campo a cumprir com o conceito do Interleite deste ano e verdadeiramente gerar negócios estratégicos na produção de leite, criando empregos e melhorando a sua renda”, observa.


Leia mais sobre: Goiás