24 de fevereiro de 2024
ATOS ANTIDEMOCRÁTICOS • atualizado em 08/01/2024 às 09:46

Ataques ao Congresso, Planalto e STF completam um ano

Batizado de "Democracia Inabalada", o evento busca reafirmar a importância do regime democrático
Manifestações marcam "aniversário" dos atos antidemocráticos de 8 de janeiro (Foto: Joédson Alves/ Agência Brasil)
Manifestações marcam "aniversário" dos atos antidemocráticos de 8 de janeiro (Foto: Joédson Alves/ Agência Brasil)

Uma série de atos marcará nesta segunda-feira (08/01) o primeiro aniversário da invasão e depredação do Palácio do Planalto, Congresso Nacional e Supremo Tribunal Federal (STF) por vândalos e golpistas inconformados com a vitória do então presidente empossado, Luiz Inácio Lula da Silva (PT).

O evento mais significativo ocorrerá no Congresso Nacional, em Brasília, às 15h, e reunirá Lula, os presidentes do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG), da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL) e do STF, Luiz Roberto Barroso, além de governadores, ministros, parlamentares e representantes da sociedade civil e do Poder Judiciário.

Batizado de “Democracia Inabalada”, o evento busca reafirmar a importância do regime democrático. “É um momento de festa para celebrar a democracia revigorada após os atos inaceitáveis do dia 8 de janeiro de 2023”, afirmou o ministro da Justiça e Segurança Pública em exercício, Ricardo Cappelli, no último dia 26.

O Congresso Nacional espera reunir cerca de 500 convidados para a solenidade, que será marcada pela reintegração simbólica ao patrimônio público de uma tapeçaria de Burle Marx e de uma réplica da Constituição Federal de 1988.

Leia Também

Ruas

Entidades, movimentos sociais e partidos políticos também promoverão atos em diversas cidades do país. Centrais sindicais como Central Única dos Trabalhadores (CUT) convocaram as entidades filiadas a realizarem atos e atividades em todo o país a fim de “marcar um ano da tentativa de golpe imposta por aliados do ex-presidente [Jair Bolsonaro], derrotado nas urnas em 2022”.

Em Brasília, as primeiras manifestações ocorreram nesse domingo (7). Partidos de esquerda e organizações sociais, incluindo a CUT-DF, aproveitaram que a rodovia DF-002 (Eixão) é fechada para o trânsito de veículos e liberada para pedestres e ciclistas e promoveram o chamado Ato em Defesa da Democracia, na altura do 208 Norte.

A proposta de antecipar o evento era, além de aproveitar a concentração de frequentadores do chamado Eixão do Lazer, não concorrer com o ato oficial, no Congresso.

Reação das instituições

A invasão do Congresso, Planalto e STF foi um dos episódios mais graves da história recente da democracia brasileira. Os ataques foram promovidos por grupos de vândalos e apoiadores do ex-presidente Jair Bolsonaro, que não aceitaram a derrota nas urnas para Lula.

As instituições democráticas reagiram com firmeza aos ataques. O STF determinou a prisão de dezenas de envolvidos, incluindo parlamentares e líderes políticos. O Congresso também aprovou medidas para fortalecer a segurança das suas instalações.

Um ano depois, os ataques ainda são vistos como uma ameaça à democracia brasileira. As autoridades buscam reforçar a segurança das instituições e conscientizar a população sobre a importância da defesa do regime democrático.


Leia mais sobre: Brasil