21 de fevereiro de 2024
Destaques • atualizado em 18/02/2021 às 11:29

Municípios do interior aderem à nota técnica do governo de Goiás para enfrentar a pandemia

Ronaldo Caiado em reunião com prefeitos do interior. Foto: Secom.
Ronaldo Caiado em reunião com prefeitos do interior. Foto: Secom.

Algumas das principais cidades goianas já se posicionaram que vão aderir às recomendações do governo de Goiás no que tange ao combate à pandemia da covid-19. A Secretaria de Saúde de Goiás divulgou uma nota técnica acerca desse assunto e apresenta pontos que todo o estado deve seguir para enfrentar o vírus. O presidente da Federação Goiana dos Municípios (FGM), José Cunha, reconhece que a situação é delicada e defende apoiar o governo estadual.

“É um momento crítico. Apesar de cada prefeito conhecer a realidade do município em que é gestor, precisamos apoiar o Estado”, disse à reportagem do jornal O Popular.

O governo de Goiás determinou nesta quarta-feira (17/2) novas medidas com a finalidade de mitigar os impactos da pandemia no estado. No início desta semana a SES informou que a taxa de ocupação dos leitos destinados ao tratamento da covid-19 no estado estava próximo de 100%, esta foi a primeira vez desde quando começou a pandemia que a situação chegou a este nível.

Ainda de acordo com a reportagem de O Popular, o prefeito de Rio Verde, Paulo do Vale, afirmou que irá reforçar a fiscalização na cidade para impedir o agravamento desta situação.

Leia Também

Paulo ressaltou também que medidas mais duras podem ser tomadas se necessário.

“Talvez até mais do que está sendo determinado pelo Estado”, explicou.

Já o prefeito de Itapaci, Mário ales (PSDB), segundo a publicação, decretou ainda na terça-feira (17/2) medidas mais rigorosas para o município. Sales disse que a cidade não tem mais leitos para a covid-19 e pediu à população que respeite as medidas.

“Estamos sem leitos. Pedimos à população que respeite o máximo possível as determinações para sairmos desta situação logo”, completou.

Em Catalão, cidade em que o prefeito Adib Elias ainda se recupera de complicações do coronavírus, ele chegou a ser internado em São Paulo, também sinalizou, segundo a reportagem de O Popular, que irá adotar medidas restritivas. Em Aruanã, o prefeito Hermano de Carvalho (PSDB) informou que irá aderir integralmente à nota técnica do Estado, não obstante ele entender que o município encontra-se numa situação mais confortável que outras cidades.

O prefeito de senador Canedo, Fernando Pellozo (PSD), também não criou nenhum óbice à determinação do estado, disse à reportagem que, inclusive, vai apresentar um decreto mais rigoroso que o atual para enfrentar este momento delicado.

“O novo decreto vai começar a vigorar a partir desta sexta-feira (19). Vamos fechar 50% do comércio em geral e bares e igrejas vão funcionar com apenas 30% da capacidade. Além disso, vamos reforçar a fiscalização. Recentemente inauguramos 11 leitos de UTI e todos foram ocupados. A situação é grave”, completa.

A prefeita Vanuza Valadares (Podemos), de Porangatu, explica que a fiscalização na cidade também será reforçada e ressalta que o atual decreto do município é compatível com as medidas exigidas pelo estado.

O prefeito de Aparecida de Goiânia, Gustavo Mendanha (MDB), informou ao Popular que não irá aderir à nota técnica do estado devido ao plano de enfrentamento à covid-19 que o município criou desde o início da pandemia e que o comitê responsável para essa atribuição está sempre atualizando o prefeito para que, se necessário, medidas mais duras sejam tomadas.


Leia mais sobre: / / / Destaques / Política