Sou contra o distritão

Por, Célio Rezende, marketeiro (Publicado originalmente no perfil do autor no Facebook)


Dei uma “aprofundadinha” no projeto de reforma eleitoral e cheguei a seguinte conclusão: SOU CONTRA O “DISTRITÃO.

1 – Só vai ser eleito “tubarão”;

LEIA TAMBÉM: Reforma Política: O que é o distritão?

Publicidade - Leia mais abaixo:

2 – Sem o estímulo da participação dos pequenos candidatos a democracia perde;

3 – A eleição de um parlamentar hj é resultante da cooperação de vários candidatos menores que, indiretamente, cotizam o custo/ esforço do deputado eleito;

4 – Sem esta “cotização” a eleição para ser um campeonato de pontos corridos, tipo Atlético Goianiense disputando o título brasileiro com Corinthias, Santos, Palmeiras, Flamengo, Fluminens e outros grandes;

5 – Se cada “tubarão” bancar sozinho sua eleição, isso não irá baratear a campanha;

6 – Os deputados mais votados em todos estados são os populistas e celebridades, que não mais contribuirão com o crescimento do partido “puxando” outros com qualidade política(em alguns casos);

7 -Deputados de qualidade tipo Pedro Wilson/Aldo Arantes jamais serão eleitos por distritos;

8 – Só vai ser eleito quem já tiver capilaridade eleitoral, “curral”(tipo igreja de crente) ou muito dinheiro;

9 – Vai impedir a renovação dos nossos parlamentares;

10 – Há formas mais eficazes de diminuir o número de partidos sem desestimular a participação cada vez maior de novos candidatos. A nossa democracia é jovem e precisa estimular as pessoas de bem concorrer as eleições. Isso é um processo didático.

Esta é a minha modesta opinião.


Célio Rezende é marketeiro, especialista em campanhas e estratégias eleitorais. 

Comentários

comentarios

Qual a sua opinião sobre a notícia? Quer comunicar correções?