ANÚNCIO

Com melhoria na solidez fiscal, eficiência da máquina pública, segurança pública, sustentabilidade do meio ambiente e infraestrutura, Goiás saltou três posições e alcançou o grupo dos dez Estados mais competitivos do País. O ranking, divulgado nesta sexta-feira (14/9) pelo Centro de Lideranças Políticas (CLP) em parceria com a Tendências Consultoria Integrada e Economist Intelligence Unidade, na Bolsa de Valores de São Paulo, coloca o Estado na 10ª posição, ultrapassando Rio de Janeiro, Ceará e Mato Grosso. O trabalho envolve os governos de Marconi Perillo (PSDB) e José Eliton (PSDB)

ANÚNCIO


Em um ano, a nota goiana no índice de competitividade subiu de 47,9 para 52,6, ficando acima da média geral do Brasil, que é de 49,4. Entre os 12 Estados que melhoraram de posição no ranking, Goiás é o único que ingressou no grupo dos 10 mais competitivos do País. Também foi o terceiro que mais avançou, três posições, menos apenas que Alagoas (8) e Amazonas (5).

O ranking é resultado da análise de dez pilares: sustentabilidade ambiental, capital humano, educação, eficiência da máquina pública, infraestrutura, inovação, potencial de mercado, solidez fiscal, segurança pública e sustentabilidade social. Segundo o CLP/Tendências, o indicador mescla um olhar voltado ao ambiente de negócios e outro no bem estar social.

De acordo com o CLP/Transparência, o pilar Situação Fiscal foi o grande responsável pelo avanço de Goiás no ranking. Em um ano, o Estado saiu da 23ª para a 5ª colocação. “A alta foi puxada sobretudo pelo sucesso na execução orçamentária e pela maior capacidade de investimento”, ressalta. Outro destaque ficou com a Eficiência da Máquina Pública, em que Goiás saltou 11 posições no ranking. No ranking de 2017, Goiás aparecia em 22º lugar. Agora, é o 11º.

A Segurança Pública também avançou significativamente desde o último levantamento. Com um melhor desempenho especialmente em segurança patrimonial, Goiás subiu seis posições nesse pilar, segundo o CLP/Transparência. No total, dos dez pilares analisados, Goiás melhorou em cinco, manteve a posição em três e recuou em apenas dois.

Acompanhando o evento, o secretário de Gestão e Planejamento de Goiás, Joaquim Mesquita, avaliou que houve avanço geral em todas as áreas de atuação governamental.

“Essa melhoria reflete o esforço que o Governo de Goiás fez, por meio do governador Zé Eliton e do governador Marconi Perillo, para ampliar a competitividade de nosso Estado”, disse. “Saltamos três posições e quando se analisa todos os pilares, melhoramos na grande maioria e certamente com expectativa de melhorar ainda mais nos próximos anos”, afirmou.

Entre as ações governamentais apontadas como indutoras da alta de Goiás no Ranking de Competitividade dos Estados em 2018, o secretário apontou os programas Goiás Na Frente, que impulsionou a capacidade de investimento do Estado, e o Goiás Mais Competitivo e Inovador (GMCI). “Em pouco tempo, os dois programas tiveram resultados imediatos. Um Estado mais competitivo garante melhor qualidade de vida para as pessoas”, acredita.

Comentários

comentarios

ANÚNCIO