Marginal Botafogo em Goiânia sofre interdição para acelerar obras (Foto Luciano Caixeta)
ANÚNCIO

Faltou aviso prévio à população, segundo o Conselho Regional de Engenharia e Agronomia (CREA-GO), na interdição de novo trecho da Marginal Botafogo pela prefeitura de Goiânia. O órgão reclamou da ausência de um plano emergencial de trânsito para a atuação do município e orientação dos condutores.

A manifestação do CREA foi feita em nota oficial divulgada nesta sexta, 23.


NOTA:

ANÚNCIO


O Conselho Regional de Engenharia e Agronomia de Goiás (Crea-GO) vem a público manifestar sua preocupação pela forma que foi realizada a interdição de um novo trecho da Marginal Botafogo, na noite de quinta-feira (22/3). Sem aviso prévio da interdição e sem um plano emergencial de trânsito, a população goiana enfrentou, na manhã de hoje (23/3), um grave congestionamento, causando inúmeros transtornos na mobilidade urbana da capital.

A ação da Secretaria Municipal de Infraestrutura e Serviços Públicos de Goiânia (Seinfra), executada pela Secretaria Municipal de Trânsito, Transporte e Mobilidade (SMT), bloqueou o trecho entre as avenidas Independência e Anhanguera, nos dois sentidos, para acelerar a conclusão das obras que estão em andamento.

O Crea-GO entende a necessidade de finalizar  as obras com rapidez, mas também entende  que a população precisa ser avisada, com antecedência, sobre as interdições na Marginal Botafogo, para que compromissos pessoais e profissionais não sejam prejudicados.

Na opinião do Crea, o Prefeitura de Goiânia deveria ter lançado, com antecedência, uma campanha publicitária de serviço, em televisões, rádios, internet, jornais, avisando sobre fechamento de novo trecho da via, oferecendo soluções viárias emergenciais para atenuar os transtornos.

O presidente do Crea-GO, eng. Francisco Almeida, ainda com o intuito de preservar o direito de ir e vir do cidadão sem graves intercorrências, enviou, no dia 27 de fevereiro de 2018, ofício (Nº 37/2018) ao secretário  Fernando Santana,  da SMT, solicitando a elaboração de projetos de desvios, com sinalizações verticais, horizontais e semafóricas, para que a população possa ter caminhos alternativos com mobilidade urbana, na região da Avenida Marginal Botafogo.

No documento, o Crea também solicitou que a SMT adote medidas de segurança, como a proibição do tráfego de caminhões ou ônibus, com carga acima de 12 toneladas, na faixa da esquerda. E que demais veículos trafeguem somente pela pista da direita. O presidente também colocou o Conselho à disposição para esclarecimentos técnicos, visando contribuir com o bem estar da sociedade goiana.

A secretaria de trânsito explicou a interdição em entrevista ao Diário de Goiás:

Comentários

comentarios

ANÚNCIO