Projeto Ribeiro Cerrado Sanclerlândia
Léo Lince apresentou o projeto para a comunidade de Sanclerlândia
ANÚNCIO

Com uma área que contempla 4.415 hectares, o Ribeirão Cerrado é o manancial de abastecimento do município de Sanclerlândia. Devido à dificuldade hídrica que tem prejudicado a região, a Agência Goiana de Assistência Técnica, Extensão Rural e Pesquisa Agropecuária (Emater-GO) desenvolve, em parceria com o Ministério Público de Goiás (MP), a Empresa de Saneamento Básico de Goiás (Saneago) e prefeitura municipal, o projeto de Recuperação Ambiental e Produtiva do Ribeirão Cerrado. Na última quarta-feira (19/10), a entidade apresentou, na Câmara Municipal de Sanclerlândia, informações sobre o projeto que está em sua terceira fase.

Durante a reunião, produtores rurais, representantes do setor público e iniciativa privada acompanharam o desenvolvimento do projeto, que tem como objetivo fornecer subsídios aos produtores para que o recurso hídrico seja conservado. Na ocasião, o engenheiro florestal da Emater Léo Lince do Carmo ressaltou que a iniciativa está na fase de conservação do solo. O profissional explica, que no próximo dia 27 de outubro, técnicos da Emater darão início às práticas de terraciamento e barraginhas que mantém a água no terreno.

Fases

ANÚNCIO


O projeto já tem duração de dois anos e consiste também no repasse de informações corretas aos 36 produtores rurais que possuam propriedades às margens do Ribeirão Cerrado. Segundo Léo Lince, a iniciativa tem como objetivo fornecer subsídios aos produtores para que o recurso hídrico seja conservado. “Nas fases iniciais nós realizamos o contato com os produtores rurais e fizemos um mapeamento das propriedades”, explicou o engenheiro florestal.

Segundo Léo Lince, o mapeamento inclui também análises da situação das propriedades em nível de degradação ambiental e conservação do solo. Outro ponto destacado pelo engenheiro é que, nesse processo, a assistência prestada visa a gestão produtiva da fazenda, como critérios que vão do tipo de produção à geração de renda para o produtor.

“Nas fases seguintes, realizamos o cercamento das nascentes e o plantio de mudas nos locais que necessitam de reflorestamento”, continuou o engenheiro florestal da Emater.

Gerações

Há 50 anos, o pecuarista Nelson Rodrigues Lopes se atenta à situação das cinco nascentes que estão localizadas em sua propriedade. Segundo o produtor, que integra o grupo de trabalho incluso no projeto da Emater, o que se tem observado nos últimos meses é alarmante. “Todos os produtores estão preocupados com o nível de água que está cada vez menor. É realmente uma coisa muito séria e a solução é a preservação ambiental”, ressalto Nelson.

As cinco nascentes localizadas em sua fazenda estão florestadas com mata ciliar. Para o produtor não é justificável que nos dias atuais e modernos, agricultores ignorem a importância de práticas de conservação ambiental. “No tempo do meu pai, as informações eram complicadas e não eram repassadas de forma eficaz. Hoje nós temos entidades como a Emater e o Ministério Público que tem abraçado a nossa causa”, salientou Nelson Rodrigues Lopes. (Com informações da assessoria de imprensa da EMATER-GO)

Comentários

comentarios

ANÚNCIO

Qual a sua opinião sobre a notícia? Quer comunicar correções?