Bolsonaro e Haddad, candidatos a presidente (Foto divulgação)
ANÚNCIO

A rodada da pesquisa IBOPE / TV Globo divulgada nesta terça, 23, tem no fator rejeição o fato mais relevante. Com margem de erro de 2 pontos percentuais, em votos válidos, a sondagem mostrou que Jair Bolsonaro (57%) oscilou para baixo (Tinha 59%) e Fernando Haddad (43%) oscilou para cima (Tinha 41%), em relação ao levantamento divulgado no dia 15 passado.

No entanto, é no fator rejeição que a pesquisa IBOPE mostra o fato mais relevante e que deve provocar maior discussão.

A rejeição de Haddad caiu de 47% para 41% enquanto a de Bolsonaro cresceu de 35% para 40%. Assim, se havia uma situação ruim para o petista e positiva para o capitão, agora, estão empatados. Se o viés da pesquisa continuar, há tendência de crescimento do segundo lugar nos últimos dias da campanha.

ANÚNCIO


O fator que, talvez, explique a situação é a polêmica sobre o apelidado “escândalo do Whatsapp” e a declaração de Eduardo Bolsonaro sobre o fechamento do STF (Supremo Tribunal Federal).

A certeza do voto também apresentou mudanças, segundo a pesquisa. Para Bolsonaro, o porcentual de 41% para 37%. Já o percentual dos que têm certeza de votar em Haddad subiu de 28% para 31%.

Espontânea

Outra variação muito explícita na pesquisa está na espontânea, ou seja, com a manifestação do nome dos candidatos sem apresentação de qualquer estímulo. Bolsonaro caiu de 47% para 42% enquanto Haddad subiu de 31% para 33%. O líder pegou viés de baixa enquanto o ex-prefeito de São Paulo pegou o de alta.

Segundo o Diário de Goiás, a pesquisa Ibope ouviu 3.010 eleitores entre os dias 21 e 23 de outubro, e foi contratada pela TV Globo e pelo jornal O Estado de São Paulo. O nível de confiança é de 95%. Está registrada no TSE (BR‐07272/2018).

Comentários

comentarios

ANÚNCIO