ANÚNCIO

Em nota, o presidente da Federação das Indústrias do Estado de Goiás(FIEG), Pedro Alves de Oliveira, declarou que “é inaceitável” o reajuste de 25% para o setor Industrial e de 12% para clientes residenciais.

A entidade reclama que os reajustes recentes já foram salgados para as indústrias instaladas no Estado. Em 2015, foi de 27% e ano passado o índice aplicado aumentou a conta em 15%.

A federação movimentou o Conselho Temático de Infraestrutura para acompanhar o problema junto à Agência Nacional de Energia Elétrica.

ANÚNCIO


Veja a íntegra:

Comentários

comentarios

ANÚNCIO